A Alma tem o objetivo de ver o que não é visto para melhorar a experiência dos pacientes.


Ela é uma empresa que busca desenvolver tecnologias para a saúde e trazer mais qualidade de vida para as pessoas. Através de uma solução que permite a visualização de veias por uma tela, ela busca facilitar a punção venosa durante procedimentos de exame de sangue ou outros semelhantes.


No Brasil, aproximadamente 3,5 milhões de punções venosas acontecem diariamente, e 50% delas sofrem erro na sua primeira tentativa, apresentando um desconforto muito grande para as pessoas que fazem alguns tipos de tratamento médico e que necessitam da realização de punções recorrentes.


A solução foi desenvolvida depois de alguns anos de pesquisa, com o objetivo de criar um hardware que conseguisse facilitar essa visualização. Ele apresenta resultados consideráveis, trazendo um aumento de até 70% na visualização da rede venosa. Foram realizados testes com pacientes oncológicos e com assistência de cientista qualificado.


A solução é composta por um acessório e um dispositivo móvel. Enquanto o acessório capta o sinal das veias não vistas a olho nu, um aplicativo embarcado no dispositivo móvel as destaca e demonstra as veias sobrepostas em uma imagem em tempo real, como um raio-x de veias.


A Alma pretende, muito em breve, estar atuando não só no Brasil, mas também fora daqui. É um empreendimento que surgiu para solucionar uma dor latente de algumas pessoas e que nasceu através de pesquisas acadêmicas. Também foram vencedoras de várias premiações e editais de pesquisa.


O empreendimento foi criado por Márcia Santos, da turma do ProLíder de 2020, juntamente com suas duas sócias, Jaqueline e Carolina. Quando entrou no ProLíder, Márcia passou a contar na sua equipe com a participação de Ricado Sabedra, também participante da turma do programa.




O ProLíder é uma realização do Instituto Four.